Leomária Mendes Sobrinho

 

Desarma





Levanta seus olhos para me ver.
Desarma as suas mãos.
Pra que fazer a sua carne sofrer?
Todos nós somos irmãos.

Olhe fundo neste espelho.
Desarma o seu coração.
Sinta-se enfim de joelho.
O sentimento gera emoção.

Se nosso pensamento é o mesmo,
Desarma a sua má intenção.
Reflete a paz no mundo a esmo.
Dissipa nos homens a compaixão.

Desarme-se você, eu e eles.
Quebrando a violência pra aliviar
A vida que devemos aos deveres
De todo povo humilde ajudar.

Desarma a sua ingênua boca
Que fala palavras sem direção.
Canta uma música que a mim toca
O amor ou poesia que escrevo com paixão.

Em 10/04/2017 às 23:00:01

Voltar