Leomária Mendes Sobrinho

 

Poema Filosófico



Expressar que este inferno é lindo,
É dar esperança a quem não tem.
Tentar contornar a violência,
É tardar o que não é findo .
O homem que consigo é refém,
Da insegurança a quem não tem.

Difícil demais acatar a vida,
Já que a morte se apresenta em nós.
Mesmo fugindo deste corpo envaidecido,
Que se aquece na filosofia abatida dos membros,
De que somos indivíduo favorecido
Ou vários seres com alma em dívida.

Único para sobrepor-se ao todo.
Compartilhando-se para alcançar...
Porém, na tentativa do entendimento,
Segue-se em se o sofrimento
Da humilhação por não alavancar,
Retornando ao eu em seu incômodo.

A solidão neste seu vazio,
Onde a beleza da vida em questão,
Arranca-lhe do espírito a cor primária,
Tonalizando os caminhos em sua visão,
Ou abrindo profundeza e precipício,
Para mantê-lo de forma precária.

Autora: Leomária Mendes Sobrinho
04/04/2017
Xlll Concurso Literário Poesias sem Fronteiras

Em 23/06/2017 às 18:22:26

Voltar