Rosa Acassia Luizari

 

O Nordeste de João




Do Nordeste brasileiro,
Da frutífera escassez,
Surge homem verdadeiro
Em palavra e sensatez.

Do Nordeste para o mundo,
Em palavras de verdade,
Um poema tão profundo
Mostra a vida severidade.

Palavra abundante,
Real e imaginário,
Da poesia és comandante,
De sua obra sou signatário.

João da seca cinza,
Entre todos, o primeiro,
A descrever severa vida,
severina por inteiro.

Vida longa às personas
Cuja alma é pura fome
Castigada em dura vida
De mais um sem nome.

Literatura nordestina,
João Cabral de Melo Neto,
Palavra que desatina
Meu soneto predileto.


Em 10/02/2020 às 11:33:47

Voltar